terça-feira, 7 de junho de 2011

domingo, 24 de abril de 2011

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

POSTULANTES I

Estes são os nossos Postulantes, do primeiro ano, moradores do Convento Sant´Ana, Anápolis, que disseram o seu SIM ao projeto do Reino. Na foto acima temos: Robson (Cidade Ocidental), Gustavo (Catalão), Frei Marco Cruz (Formador), Iago José (Jataí) e Renildo (Inaciolândia). Rezemos por eles, para que Deus, nosso Pai, os ilumine e os ajudem no decorrer da caminhada franciscana.

PASTORAL VOCACIONAL

Às vezes nos deparamos com algumas perguntas, as quais nos deixam um tanto quanto confusos. Afinal o que Deus quer de mim? O que Deus quer de cada um de nós? Qual, realmente, é minha vocação? Esses e outros questionamentos, muitas vezes nos levam a uma profunda crise existencial.
Mas, o que é vocação?

Vocação é uma palavra latina, vocare, que significa chamar. Daí vemos que, o ato da vocação é um eterno chamado para realizarmos alguma coisa, para nós e principalmente para os que estão à nossa volta. Há alguém que chama, e para que esse chamado seja concretizado é preciso que do outro lado tenha alguém que possa dar uma resposta sincera e consciente.

Nesta dinâmica, temos o chamado à vida como sendo o primeiro a que somos convidados. Se existimos foi porque um dia houve um sim, de nossos pais, os quais, com a anuência de Deus nos deram a vida. Este é o principal chamado, sem ele nada conseguimos fazer, daí a sua grande importância em nossa vida e principalmente na vida daqueles que almejam serem pais e mães.

Seguindo a nossa caminhada nos deparamos com outros chamados, os quais devem ser sempre pautados pela felicidade. Deste modo, alguns são chamados ao matrimônio, construir famílias, as quais devem ser o berço das demais vocações. Outros são chamados a uma vida celibatária, entregam-se ao projeto do Reino de Deus, tornando-se Padres ou religiosos (as).

E são nestes últimos chamados que queremos focar por um instante. Falar de vocação Sacerdotal e Religiosa num mundo tão materialista, às vezes, se torna um tanto quanto utópico. Muitas pessoas não conseguem compreender o real significado desta total entrega ao Projeto de Deus. Não conseguem entender quão grande é o Mistério que envolve tão belo chamado.

Olhando mais de perto a vocação franciscana, vemos que, Francisco, sendo rico, abandona tudo. Assemelha-se cada vez mais ao Cristo Pobre e Crucificado, “já não é eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. Deste modo, ainda hoje muitos são chamados a viver essa radicalidade de vida. Ouvir o chamado de Deus e seguir a Cristo, com o mesmo vigor de Francisco de Assis, movidos pelo impulso abrasador do Espírito Santo.

“O caminho da vida... franciscana exige firmeza, doação e responsabilidade assumidas por aquele que se sente chamado; portanto, para seguir o Senhor nessa perspectiva, é necessário ser pobre, que implica não ajuntar nada para si coisas, que são desnecessárias e que dificultam o caminho... é necessário ser casto, que exige da pessoa transparência, refletindo não a sua própria luz, mas, a luz de Deus na sua pessoa, assim, é amar cada ser vivente não com os olhos humanos, que só veem aparência física, contudo, ver com os olhos espirituais que ama cada um porque o Senhor o criou e se faz presente nele; é também desejar apenas ‘uma coisa só’(Lc 10,42a) o necessário, assim como Maria, a irmã de Marta; Ouvindo e seguindo o amor que não é amado, aquele que mais bem nos quer, o próprio Deus; é importante também ser obediente, que é “Negar-se a si mesmo”(Mt 16,24), a serviço de um bem comum, com generosidade e humildade, isto é, reconhecer a finitude do próprio ser diante do Senhor que age através das pessoas e em todas as criaturas”.

Deste modo, nós como Pastoral Vocacional Franciscana, estamos sempre abertos para acompanhar e acolher jovens que buscam um discernimento maior acerca de qual caminho deve seguir. Levando-os a dar uma resposta para as perguntas inquietantes que trazem. Afinal qual é minha vocação?

Deus chama cabe a nós estarmos atentos ao seu chamado. E assim com Francisco de Assis, poderemos dizer: “É isso que eu quero, é isso que procuro, é isso que eu desejo de todo o coração”. Assim seja!

Frei Jair da Cruz OFM





QUEM SOU

Minha foto
Anápolis, Goiás, Brazil
Frade Franciscano Menor, da Província do Santíssimo Nome de Jesus do Brasil, licenciado em Filosofia pela PUC-GO, atualmente é estudante do Curso de bacharelado em Teologia, no Instituto de Filosofia e Teologia de Goiás - Ifiteg, Diácono em transição e Animador Provincial do Cuidado das Vocações Franciscanas.